Aventuras de Giovanni Fiorini


* De 6 até 17 viajei com meu pai, acompanhando suas obras por todo Brasil de 1970 até 1981.

* Com 13 anos vendi  Laranja e Limão com meu irmão gian, no campo do Pitangui em Belo Horizonte.

* Com 14, fui vigia numa loja de brinquedos no Barreiro em Contagem.

* Com 14, Vendi banana na feira dos produtores na Cidade nova em Belo Horizonte.

* Com 16, fui funcionário da Parede Construções em Contagem.

* Com 17, Fui funcionário do IMEF, uma clínica de Fisioterapia em Belo Horizonte.

* Com 17, Fui o primeiro funcionário da Digitek, do amigo Antônio Bastos em Belo Horizonte, uma empresa de No-break (Digitek).

* Com 18, Vendi linguiça para bares da Savassi.

* Até os 18 toquei em vários bares de Belo Horizonte, no início da carreira como cantor e compositor.

* Com 24, compus 02 Trilhas sonoras para desenhos animados para o Nace em Fortaleza em parceria com o Cinema Canadense                (Tiano Botija – Lenda da Pedra Bonita).

* Com 24, fui Garçom de um Restaurante Francês La Terrasse em Fortaleza no ano de 1988, do meu amigo e produtor Frances Totofi.

* Com 28, ajudei a tocar uma pousada em Ouro Preto, com o amigo Marcos de Fortaleza no ano de 1987.

* De 14 aos 33, fui triatleta e participei de várias provas de atletismo e de natação. E foi numa destas provas que peguei Xistose no          Miguelão, na serra da Moeda.

* De 15 aos 30, dancei muito a discoteka dos anos 80 (na verdade eu arrebentava), perdia 4 kg dançando numa noite                            (Jambalaya e Ponteio).

* Tenho orgulho de dizer que tenho 53 anos,  nunca bebi, nunca fumei ou experimentei drogas.

* Corri de bandidos numa certa cidade próxima de Porto Velho e fiquei dois dias escondidos dentro da mata, a base de frutos do mato e    orvalho.

* Para tomar banho de noite na Amazônia, tínhamos que jogar pedra dentro do que se chamava Bueira, para sair piranhas cobras e          jacarés.

* Uma bióloga francesa ficou hospedada na minha casa, onde morava na divisa do Acre com a Bolívia e uma noite fomos entrar na mata    para uma pescaria adentro com um filho de seringueiro. No meio do caminho, o guia percebeu o cheiro de uma onça que estava nos    seguindo e tivemos que parar e ficar imóveis durante um tempo. Cara, milhares de formigas subiram na francesa e cortou ela toda. A      roupa dela ficou picotada.

* Em 1985, arrendei uma serraria na Amazônia e pagava o IBDF, mas como descobri que não havia reposição das árvores, mesmo            pagando a reposição foi quando me tornei um ambientalista. Na Amazônia adquiri algumas doenças como: Malária                              (Falsiparum e Vivax), Leishmaniose Cutânea e Dengue.

* Durante cinco anos, eu pegava oito caronas de ida e de volta, para ver minha filha que morava no norte de Minas e muita das vezes,      depois da ultima carona, ainda tinha que andar 21 km a pé ate chegar à cidade que ela morava. Sobravam somente 03 dias para eu      trabalhar. Isto me causou hipertensão e Labirintite.

* Se tem um coisa que fiz muito até os meus 44 anos, foi andar de carona, tanto no Brasil, como fora. E para ficar mais emocionante,      eu viaja sem um centavo sequer, ou seja, tinha que me virar. Isto foi a maior escola que já tive.

Parceiros:

Clin Life